Empréstimo pessoa jurídica

Veja tudo o que você precisa saber antes de pedir empréstimo para pessoa jurídica

O empréstimo para pessoa jurídica pode ser a saída que o seu negócio precisa. Mas, é preciso ter cuidado para não cair em ciladas. Confira!

2020 foi um ano desafiador, especialmente para os micro e pequenos empreendedores. Para expandir seus negócios, sair do vermelho ou levantar capital de giro, muitas empresas optaram pelo empréstimo para pessoa jurídica como uma maneira de atingir suas metas e encarar a pandemia com o saldo positivo. Mas é preciso ter cautela. 

A princípio, o empréstimo empresarial pode, sim, ser uma alternativa para sair de uma crise financeira ou lidar com situações não previstas, como no caso da pandemia de Covid-19. Contudo, é essencial que o empresário tenha boa gestão financeira, controle rígido de fluxo de caixa e objetivos bem definidos para que o empréstimo não vire uma grande dor de cabeça.

Qual o melhor momento de solicitar empréstimo?

Primordialmente, você planeja uma expansão para sua empresa, como o aumento do portfólio de produtos e serviços? Sua empresa precisa de capital de giro imediatamente? Deseja realizar algum tipo de reforma? Quer começar a investir em marketing para seu negócio? Se você respondeu “sim” para alguma dessas perguntas, então o empréstimo empresarial pode ser uma ótima opção para você. 

Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, o crédito para micro e pequenas empresas pode ser muito interessante quando há um planejamento prévio e objetivo claro para seu uso. Porém, evite solicitar empréstimo em momentos de sufoco, quando já existem outras dívidas ativas ou se seu score estiver comprometido. Nesses casos, há uma maior probabilidade de sua empresa acabar em situação de inadimplência, o que dificultará o acesso a crédito no futuro. 

Tipos de linha de crédito para micro e pequenas empresas


Existem diferentes linhas de crédito para cada necessidade da empresa. Logo, antes de contratar um empréstimo, defina a finalidade do dinheiro e se você deseja oferecer garantias de pagamento, como imóveis e carros. Ao oferecer garantias, o risco do credor diminui, resultando em taxas menores no financiamento. No empréstimo sem garantias, as taxas são mais elevadas devido ao potencial risco de atrasos no pagamento e inadimplência. 

Mas, cuidado! Em caso de inadimplência, o credor pode pegar os itens oferecidos como garantia para quitar o débito. Para não cometer erros, só efetive um empréstimo após estruturar um planejamento de pagamento das parcelas.

Além disso, é importante levar em conta que algumas linhas de crédito exigem destinação específica do valor emprestado, modalidade conhecida como financiamento. Dessa forma, fica explícito no contrato para qual fim será o montante, que pode ser para uma compra de um maquinário novo, por exemplo. Além do financiamento, existe a modalidade de empréstimo, no qual o empresário pode usar o dinheiro como quiser. 

Os quatro tipos de empréstimos para empresas mais comuns são: 

    Crédito para capital de giro 

O empréstimo para capital de giro é destinado a manter a operação diária da empresa e suprir suas necessidades básicas, como pagamento de impostos e fornecedores, salários dos funcionários, reposição de estoque ou compras de insumos e matéria-prima. Nesta modalidade de empréstimo, a taxa de juros é pré-fixada, além do financiamento ser sem carência e de curto prazo. 

    Antecipação de recebíveis

Essa opção é a ideal para quem precisa antecipar os valores que sua empresa tem a receber para arcar com despesas imediatas. Os descontos do financiamento podem ser feitos por meio de promissórias e duplicatas, cheques pré-datados e faturas de cartão de crédito, por exemplo.  

    Empréstimo com garantia

Nessa modalidade, o empreendedor oferece alguma propriedade – que pode ser, por exemplo, um imóvel ou um automóvel para assegurar o pagamento das parcelas do financiamento. Como essa operação oferece menos riscos de inadimplência à instituição financeira credora, o cliente consegue empréstimos com as taxas de juros mais em conta.

    Empréstimo coletivo

Também conhecido como Peer to Peer Lending, o empréstimo coletivo não conta com a participação de instituições financeiras. Aqui, o dinheiro é concedido por pessoas físicas que desejam investir em um novo projeto ou negócio. Dessa forma, essa modalidade conta com menos burocracias e inclui taxas, parcelas flexíveis e rentabilidade mais alta. 

Como pedir empréstimo para pessoa jurídica?

Se você acredita que este é o momento ideal de pedir empréstimo e já conheceu as principais linhas de crédito para micro e pequenas empresas no tópico anterior, provavelmente deve estar se perguntando: como solicitar um empréstimo para pessoa jurídica?

Se seu primeiro instinto é correr até o banco mais próximo para pedir a abertura de crédito, é melhor pensar duas vezes. Um levantamento realizado pelo SEBRAE e Fundação Getúlio Vargas entre 7 de abril e 5 de maio, e divulgado pelo portal Metrópoles, revelou que nove em cada dez empreendedores que buscaram crédito tiveram o empréstimo negado. 

Isso acontece porque o pedido de crédito em bancos tradicionais envolve muitas burocracias, o processo é demorado e, geralmente, o pequeno empresário não tem o faturamento tão alto em sua empresa.

Justamente para resolver esses problemas enfrentados pelas micro e pequenas empresas na hora de solicitar crédito no mercado, surgiram as fintechs. Disponibilizar empréstimos online, tecnologia nos processos e rapidez para processar pedidos de crédito são algumas das características das fintechs.

Como pedir empréstimo online

Pedir crédito online é muito simples. Primeiro, você precisa informar o valor que precisa e o motivo para qual será usado o dinheiro. Depois, basta informar alguns dados, como nome completo, CPF, e-mail, telefone, CNPJ da empresa e o faturamento mensal. 

Uma rápida análise será feita com base nos dados fornecidos, para determinar o valor a ser oferecido, a taxa e prazo para pagamento. Ao final da análise, uma oferta com todas as informações do empréstimo será enviada para seu e-mail. Caso aceite a proposta, você precisará enviar alguns documentos extras, como o comprovante de endereço da empresa e extrato bancário dos últimos 90 dias. 

Caso receba uma proposta aprovada, você receberá um novo e-mail para assinar virtualmente o contrato. Depois da assinatura, a instituição financeira depositara o dinheiro em alguns dias na conta PJ indicada. Em algumas fintechs, o prazo pode ser de apenas 2 dias. 

A maior vantagem das fintechs é que praticamente todo o processo é feito online. Essa funcionalidade diminui as taxas de custos operacionais, e evita desperdício de tempo e deslocamentos físicos até a agência. Também há muito mais agilidade nas análises, já que os trâmites são automatizados, diminuindo – e muito – a burocracia. Finalmente, há mais transparência e detalhamento nas informações sobre o empréstimo contratado, evitando surpresas futuras. 

Empréstimo para pessoa jurídica não é bicho de sete cabeças

O crédito para micro e pequenas empresas pode ser essencial para que você consiga expandir seu negócio. Além de fazer o capital de giro rodar de forma equilibrada. Educação financeira é a base para que qualquer empresa tenha o controle do seu caixa e saiba exatamente como investir o dinheiro contratado.

Além disso, pesquise e opte por instituições confiáveis, transparentes em seus processos e que te deem todo suporte e atendimento necessário desde o momento da solicitação do empréstimo, até depois do dinheiro já ter caído na sua conta. 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.